+

Karma e Renascimento – parte II

  • 03:00 PM
  • Rua S. João Bosco, 349, Porto

Ensinamento com Tsering Paldron

O karma “não nasce de uma vontade divina, nem pode ser atribuído ao azar: é fruto de nossos atos e, por atos, entendemos pensamentos, palavras e ações físicas, negativas ou positivas”, afirma o monge francês Matthieu Ricard.

Do ponto de vista psicológico, a noção de karma baseia-se na ideia de que toda a experiência fica registada sob a forma de energia, positiva ou negativa. O karma é a força que nos impulsiona — e, não apenas nesta vida, mas em todas as outras que já vivemos ou que ainda vamos viver.

 

Sábado 24 de Março, das 15 às 18h30


Local
Rua S. João Bosco, 349 | 4100-531 Porto
Contribuição €20
Inscrições: através do formulário online

 

Chegámos a um momento da história em que, mais do que nunca, os métodos da busca de felicidade utilizados no mundo ocidental se revelam contraproducentes. Face aos perigos que cada vez mais ameaçam as nossas sociedades temos de reflectir profundamente. Poder-se-á acusar os sistemas políticos, as desigualdades sociais ou o desenvolvimento da ciência, ou deveremos ir mais longe ainda e compreender que os verdadeiros responsáveis somos nós todos pela nossa falta de ética, ganância, e cegueira face à interdependência dos seres e dos fenómenos?
Conscientes desta situação, cada vez mais pessoas procuram no Budismo algo que dê sentido à sua existência. Pela sua flexibilidade e não-dogmatismo o Budismo possui características muito atraentes. No entanto, em virtude da distância cultural, nem sempre é fácil compreender as suas noções fundamentais“ (Tsering Paldron)

 

tse22Tsering Paldron

Praticante budista desde 1974, Tsering Paldron viveu muitos anos na Bélgica e em França. Recebeu ensinamentos e iniciações de muitos Lamas e, entre 1984 e 1988, fez o tradicional retiro de 3 anos na Dordogne, França, sob a direcção espiritual de Dudjom Rinpoché e Dilgo Khyentsé Rinpoché (mestre do Dalai Lama e de Ringu Tulku), dois dos mais importantes Lamas contemporâneos (entretanto já falecidos) e Tsetrul Pema Wangyal Rinpoche.

Em 1992 começou a ensinar o budismo e voltou para Portugal em 1996, onde tem vivido nos últimos anos, apesar de viajar bastante. Foi tradutora do Dalai Lama aquando da sua primeira visita a Portugal e tem sido tradutora de muitos outros lamas para francês e português. Conheceu Ringu Tulku em 1997 e tem seguido os seus ensinamentos e sido sua tradutora em inúmeras ocasiões.

É autora de “A arte da vida”, “A alquimia da dor”, “As aventuras de Tachi, o grilo tibetano” (livro de contos infantis) e de “A dignidade e o sentido da vida” sobre cuidados paliativos em colaboração com outros autores. O seu mais recente livro é “O Hábito da Felicidade”.

É presidente de Bodhicharya Portugal.

Página: Tsering Paldron