Budismo Tibetano

endlessknotsvgO Vajrayana, do sânscrito “veículo de diamante”, conhecido igualmente como budismo tântrico, tem as suas raízes históricas na Índia e a partir do século oito d.C. expandiu-se para a China, o Japão, o Tibete, o Nepal, o Butão e Mongólia.

Embora as várias escolas do Vajrayana tenham desenvolvido formas muito próprias, o percurso de um praticante passa por etapas que todas partilham: as práticas preliminares (sngon ‘gro), as práticas externas (com contemplações sobre a natureza do mundo samsárico), as práticas internas (que incluem a tomada de refúgio e a prática de guru yoga) e a prática principal (dngos gzhi), com três fases: geração, perfeição e grande perfeição (esta última é nomeada de forma diferente consoante a escola).

Uma das particularidades do Vajrayana é o uso de visualizações, recitação de mantras e mudras. Outra característica comum a todas as escolas Vajrayana, é a importância da ligação com um mestre (guru). Na prática do guru yoga, o mestre deve ser visualizado enquanto ser absolutamente perfeito. À imagem do guru, todos os seres são igualmente contemplados como essencialmente puros e imaculados. Os métodos, para serem usados com eficácia, devem ser antecedidos por uma iniciação, que autoriza o indivíduo a praticá-los. É comum que um praticante receba várias iniciações, podendo assim praticar métodos diferentes. Práticas complementares incluem ainda as oferendas, a oferenda do mandala e prosternações. Um dia num Centro ou Mosteiro Vajrayana começa com as oferendas e a prática de oração no templo e de sadhanas pessoais. Incentiva-se o estudo de textos sagrados e sobretudo a transmissão oral de ensinamentos.

No Budismo Tibetano, há quatro escolas principais: a escola Nyingma (a escola antiga), e as escolas Kagyu, Sakya e Gelug, que utilizam textos de traduções mais recentes que a primeira.

O fundador da escola Nyingma foi o mestre indiano Padmasambhava. Uma das características desta escola é a transmissão de ensinamentos através de “tesouros” (terma).

A escola de transmissão oral Kagyu tem origem nos ensinamentos do yogi indiano Tilopa. O principal ensinamento desta escola é o Mahamudra (Grande Selo, ou Grande Marca), ou a percepção directa da claridade da mente.

A escola Sakya, fundada pelo lama tibetano Khön Könchog Gyelpo, é considerada a escola mais esotérica do Budismo Tibetano.

A Escola dos Virtuosos, a escola Gelug foi fundada pelo monge tibetano Tsongkhapa Losang Dragpa e perdurou como uma escola monástica. Esta escola está na origem na linhagem do Dalai Lama.

 

Em Portugal há várias escolas e grupos que representam o Budismo Tibetano. No Centro Budista do Porto, a Associação Bodhicharya Portugal promove ensinamentos, retiros e outras atividades.

 

 

Texto da responsabilidade do Centro Budista do Porto; se o quiser usar, mencione a fonte.